inteligência emocional no trabalho inteligência emocional no trabalho

Entenda o que é e por que a inteligência emocional é fundamental no trabalho

6 minutos para ler

O dia a dia corporativo costuma ser bastante corrido, gerando desafios e certa pressão constantemente sobre as equipes. Lidar com tudo isso nem sempre é simples, mas pode se tornar mais fácil por meio da inteligência emocional no trabalho.

Essa é uma característica cada vez mais valorizada pelos profissionais de Recursos Humanos, por se tratar de um verdadeiro diferencial para a convivência e as relações de trabalho. Se você quer saber mais sobre o assunto e entender como desenvolver essa habilidade na sua equipe, fique conosco e confira o post até o final!

O que é inteligência emocional?

De acordo com Goleman, o “pai” da inteligência emocional, ela é:

a capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos.

Dessa forma, trata-se da administração das próprias emoções, a fim de torná-las mais construtivas para nós e para aqueles que convivem conosco. A inteligência emocional funciona como uma espécie de músculo a ser fortalecido para que, assim, reconheçamos melhor nossos sentimentos e saibamos lidar com eles para — e relacionarmos de forma saudável.

Goleman ainda estabelece os pilares nos quais a inteligência emocional está pautada. São eles:

  • autoconhecimento emocional: reconhecimento sobre as próprias emoções;
  • controle emocional: capacidade de administrar os sentimentos, controlando os impulsos;
  • automotivação: habilidade de direcionar as próprias emoções para a realização pessoal;
  • reconhecimento das emoções dos outros: desenvolvimento de empatia;
  • relacionamentos interpessoais: interação com outras pessoas e gestão dos sentimentos delas.

Por que ela é importante?

Além de ser indispensável para a saúde mental e para a qualidade das relações na vida pessoal, a inteligência emocional é importante por diversas outras razões também no ambiente profissional. Quanto mais desenvolvida for essa habilidade, mais fácil será desenvolver uma trajetória de sucesso e uma liderança influente.

O domínio sobre os próprios sentimentos é o que confere imparcialidade e justiça ao avaliar uma situação. Além disso, o autocontrole, por exemplo, pode ser o responsável por tomadas de decisões mais sensatas, mesmo sob pressão. O mesmo vale para a resolução de conflitos e estresse.

Outro aspecto inegável de um ambiente cujos profissionais possuem inteligência emocional é a facilidade de convivência, o bom relacionamento e a propensão ao crescimento coletivo. É exatamente por isso que essa é uma característica tão valorizada nos processos seletivos.

Ela não ajuda apenas à empresa, mas aos profissionais em sua carreira, além de contribuir para o melhor desempenho das pessoas, o trabalho em equipe e para a motivação como um todo. Em suma, a educação emocional pode ser um grande diferencial competitivo em qualquer negócio.

Como estimular o desenvolvimento da inteligência emocional no trabalho?

Desenvolver a inteligência emocional da equipe não é uma tarefa difícil, mas deve perpassar alguns aspectos. Você poderá conferir cada um deles a seguir.

Incentive o autoconhecimento

Por estarem expostas, diariamente, a situações estressantes e de conflito, as pessoas podem desenvolver o hábito de reagir instintivamente a elas, perdendo o autocontrole. Por isso, é importante que reconheçam os seus gatilhos emocionais e como cada evento afeta os seus sentimentos.

Esse é um fator que deve ser abordado tanto pelo líder imediato quanto pelos treinamentos, para que se torne do conhecimento de todos a relevância de conhecer a si mesmo. Sempre que um conflito acontecer, procure questionar e estimular cada envolvido a demonstrar como se sente, falar sobre as suas emoções.

Isso ajudará as pessoas a reconhecerem o que as atinge e o que a sua reação provoca nos demais. Dessa análise simples podem surgir mudanças valiosas de comportamento nas próximas ocasiões.

Faça grupos de apoio

Os grupos de apoio podem, facilmente, se tornar um espaço de colaboração, acolhimento e empatia, estimulando os colaboradores a expressarem devidamente as suas emoções. Quanto menos falam sobre aquilo que sentem, mais as pessoas tendem a se manifestar de maneira equivocada. Assim, falar calmamente sobre o que está acontecendo pode ajudar a perceber a situação com outros olhos.

No grupo, isso acaba incentivando um posicionamento empático por parte de cada um. O resultado disso é a promoção de um ambiente seguro e saudável para debater o assunto da maneira mais construtiva possível.

Promova mentorias

Um mentor é uma pessoa experiente, com muita vivência em determinada situação ou assunto, que pode orientar e conduzir um profissional por um caminho menos árduo do que o seu foi. Por isso, pedir que um líder reconhecido se encarregue de conversar com a equipe também é uma maneira de promover o autoconhecimento e a inteligência emocional.

Debater ideias e emoções com alguém que entende e já passou por algo parecido pode auxiliar muito. Quando duas pessoas passam por experiências semelhantes, elas podem se ajudar a encontrar soluções diferentes, novas perspectivas e interpretações sobre os fatos. Isso contribui para decisões mais inteligentes e sensatas.

Inspire pelo exemplo

Outra forma de ajudar a sua equipe a desenvolver inteligência emocional é pelo exemplo. Eles aprenderão muita coisa observando como você resolve os próprios conflitos, como reage em momentos de crise e sob pressão. Por isso, faça do seu comportamento um modelo a ser seguido.

Além disso, é importante ter conversas claras e francas. Uma comunicação assertiva é essencial. Assim, você conseguirá manifestar verbalmente como se sente em relação às situações, resolvendo-as com inteligência e usando as emoções ao seu favor.

Dê valor aos feedbacks

Conversas abertas sempre têm muito a colaborar. Manter os feedbacks eficazes é uma forma bastante interessante de contribuir para a inteligência emocional do grupo. Para isso, aborde as expectativas de maneira objetiva, clara e sem pudores.

Não faça das conversas sinceras algo que a sua equipe teme, pelo contrário. Mostre que com ideias coesas e um pouco de empatia, suas emoções e sentimentos podem ser abertamente manifestados, tanto com os seus pares quanto com os líderes.

Nesse contexto, o papel do líder é o de apoiador do seu time. Por isso, é imprescindível desenvolver essa competência e manter o equilíbrio do ambiente de trabalho. Dessa forma, ele também poderá ajudar os seus colaboradores.

Agora que você já sabe o que é e como despertar a inteligência emocional no trabalho, que tal continuar aprendendo outras maneiras de aperfeiçoar a sua liderança? Descubra, agora mesmo, como aumentar a sua capacidade de influência!

Posts relacionados

Deixe um comentário